sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Dançando sobre cacos de vidros

[Resenha] Dançando sobre cacos de vidros - Ka Hancock


Título: Dançando sobre cacos de vidro
Título Original: Dancing on broken glass
Autora: Ka Hancock
Editora: Arqueiro
Páginas: 336

Ano de Lançamento: 2013

SinopseLucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.
Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.

Primeiramente este livro já se torna altamente especial por ter sido comprado em conjunto com Ale, em uma de nossas aventuras pela livraria Cultura do Conjunto Nacional, um dia estávamos voltando de um evento (literário por sinal) e resolvemos ir até a cultura e lá estava o livro, em promoção, uma olhou para a outra e disse, vamos levar.
Mas antes de continuar eu preciso dar um aviso, pegue um lencinho e não tenha vergonha de se emocionar com a resenha a seguir.



Dançando sobre cacos de vidros, tem uma estória que me surpreendeu do começo ao fim, ele segue contando a trajetória de Lucy e seu casamento um tanto quanto conturbado com Mike.

Tudo isso por que Mike possui um transtorno mental (bipolaridade e transtorno obsessivo compulsivo) que faz com que ele passe por diversas internações para controlar e ater sua sanidade.

Mesmo com todos os problemas do casamento comum e a complexidade de sua doença Mike e Lucy vivem em um casamento com um amor imenso e são o suporte um para o outro. Já que Lucy possui um histórico familiar de câncer e ela mesma quase foi vencida pela doença anos atrás. Então os dois depois de muita conversa decidem que nunca terão filhos, pois pensam que possuem genes defeituosos com doenças que poderiam afetar seus filhos posteriormente. E mesmo assim um milagre acontece e tudo muda na vida deles de uma hora para outra.

“– Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar.”





Então Lucy descobre que está grávida, e com isso ela precisa lidar com toda a pressão de como contar para Mike que sua promessa foi quebrada, e que eles vão ter um bebê. E começa toda a preparação com a chegada do bebê, começam a pensar na cor do quarto, no tipo de móveis e todos os detalhes que um casal começa a fazer com a chegada de mais uma pessoa a família, mas Mike começa a entrar em pânico, com a ideia de ter um filho e se sentir incapaz de criar uma família.  Com esse pânico, Mike acaba tendo um surto psicótico que o leva a ficar um bom tempo na ala psiquiátrica do hospital, e Lucy precisa seguir com a sua rotina de pré-natal entre outras coisas.

Em um dia de consulta, a Dr. Barbie sente algo estranho no peito de Lucy, mas acredita que seja todas as metamorfoses que o corpo da mulher sofre quando gera um bebê, mas pede que vá ver um amigo especialista em oncologista em uma cidade vizinha. Bom já sabemos o que devemos esperar depois dessa consulta ... Sim, ela está com câncer de mama e precisa tomar a decisão mais difícil da vida, ter esse bebê, deixando o câncer ganhar proporções avassaladoras, porque não é possível fazer um tratamento sem que afete o bebê, ou tira-lo.

Lucy é por diversas vezes muito incompreendida em relação às decisões que ela toma ao decorrer da história, e eu tento de todo modo me colocar no lugar dela e descobrir que se de fato estivesse lá, faria o mesmo. Ela é uma personagem forte, que carrega não só as suas cruzes, mas as de toda a sua família, ela é o alicerce que segura a todos.



"Era como se eu soubesse o segredo da morte. Eu tinha a resposta, a chave para suportar o que é preciso quando alguém que amamos morre. E agora acho que acredito, porque não consigo ver o significado da vida de outro jeito." "Dizem que o primeiro ano após uma perda importante é o pior. Nada mais óbvio. As perdas são um tipo específico de insanidade, e não há como amenizá-las. Não existem atalhos e o luto só é superado se for vivenciado."

Lucy tem mais duas irmãs, Priscilla e Lily, as três sofrem a perda dos pais quando ainda eram jovens, a dor transformou Pris em uma mulher tremendamente dura e viciada em trabalho, mas aproxima muito as outras duas irmãs. O livro não se baseia apenas no amor entre homem e mulher, ele te faz refletir sobre o valor de sua própria vida e apresenta o lindo amor fraternal entre Lucy e Lily.

"A gente compensa as perdas como pode, não importa quando elas ocorram."



E você, tá lendo ?

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Baía da Esperança - Resenha



Vocês já nadaram com os golfinhos? Já viram uma baleia de perto? Deve ser muito emocionante, eu ainda não tive esse prazer, mas, literalmente falando sei como é a sensação... Vocês também podem saber qual a sensação, basta mergulhar nessa leitura maravilhosa!
"Nesse momento, a baleia emergiu. Enquanto prendíamos a respiração, surpresos, ela levantou a calda.." Página 18
Já descobriram de qual livro estou falando?




Embora seja a primeira resenha do blog dessa autora maravilhosa, ela é nossa queridinha, os livros dela sempre mexem com nossas emoções, fica um nó na garganta, e não há como não se apaixonar...
Aqui vamos conhecer Liza e Hannah, mãe e filha, tentando fugir do passado, tentando esquecer...
Sabe não há como esquecer uma história, uma experiência, elas ficam marcadas, e digamos que cutucando, até você parar e encarar, pode doer, mas, não adianta fugir, a verdade sempre te encontra... Por isso, respire fundo, erga a cabeça e dê um passo!!! Encare, não fuja, não adianta..

Infelizmente Liza vai perceber isso com muito sofrimento, então você que está lendo, lembre-se que a ficção também imita a vida real, ou seja, para que, esperar a dor para agir, não espere, comece agora mesmo a enfrentar o seu passado, para que ele não assombre o seu presente...
Confesso que pensei em desistir no inicio da leitura, pois, a leitura começou lenta, sem emoção, mas, como nunca desistimos, fomos "empurrando o barco", graças a Deus! Não sei dizer em que momento da história acontece a reviravolta, mas, sei que acontece e aí fica impossível abandonar a leitura.
Liza fugiu da Inglaterra, o motivo só será revelado no final da leitura, o que vamos ver logo no inicio, é Liza é uma mulher muito sofrida, triste, que vive para Hannah, e além da filha encontra um pouco de alegria observando os golfinhos e as baleias, ela mora com a tia, dona de um pacato hotel na cidade de Silver Bay.
Tudo vai mudar, quando Michael, chega na cidade a serviço e vai ficar hospedado justamente no Hotel Baía da Esperança...  E ele vai perceber que para ser feliz, o simples é tão bom quanto o sofisticado...
A história parece clichê, mas, não julguem o livro, vocês irão se surpreender... A história é narrada em primeira pessoa, e vamos poder ter a visão do que cada um pensa, pois, cada capitulo e narrado por uma personagem...



Livro: Baia da Esperança
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Pág: 301
Avaliação do Blog: ✰✰✰✰✰

E você Tá Lendo?








quinta-feira, 16 de novembro de 2017

O Lado Bom de Ser Traída?!

Título: O lado bom de ser traída.
Autor: Sue Hecker
Editora: Haper Collins
Páginas: 400
Classificação: ✰✰✰

SinopseBárbara é uma profissional de sucesso. Noiva há cinco anos de Caio, um empresário no ramo de telecomunicações, sua vida é completa e plena. Porém, ao ver uma foto dele ao lado de uma mulher que se intitula também sua noiva, o mundo de Bárbara desmorona. Decidida a não se entregar à decepção, ela resolve dar a volta por cima. Com o visual renovado, começa a adotar outras posturas, afastando de vez a depressão. Para a sua surpresa, o destino coloca em sua vida Marco, um juiz extremamente sexy. Bastou um olhar para que ambos fossem tomados por uma alucinante tensão sexual. Resta saber se, de fato, Bárbara mudou o suficiente para se entregar sem amarras.  


Olá gente linda!!! Fico me perguntando se vocês ao lerem esse titulo ficaram pensando as mesmas coisas que nós aqui pensamos: Como assim? Existe alguma coisa boa??? Se vocês também fazem essa pergunta, nosso conselho: "LEIAM O LIVRO". Simples assim...


Esse é o primeiro livro da Sue Hecker, fomos na tarde de autógrafo e contamos tudo aqui!
Vamos conhecer a história da Barbara uma mulher linda, profissionalmente resolvida e noiva do Caio...Até ai tudo bem, mas, passeando pelas redes sociais, o nosso querido e bom facebook, Barbara descobre que o seu noivo também esta noivo...Isso ai gente, vocês não leram errado, não foi uma traição simples, embora, para nós traição é traição, mas o infeliz tinha uma noiva em outro estado...
Lógico, que ela ficou arrasada, deprimida...




"Chorar...Chorar...Chorar...Comer..." Pág. 07


Ela se deu ao direito de cinco dias de "mimimi", depois deu a volta por cima...Começou a se vestir melhor e  mergulhou no trabalho.... O coração fechado a sete chaves, o que importa agora é aproveitar a vida e isso significa nada de relacionamento sério...
É obvio que você já percebeu o que vai acontecer, certo?
Barbara tem um escritório de contabilidade e a pedido do seu sócio irá acompanhar um cliente até o fórum, é lá que ela irá conhecer o juiz Marco e como nas novelas, os dois irão se apaixonar e viver uma grande paixão, será??? 
Como não estamos lendo nenhum conto de fadas, o juiz bonitão tem um passado complicado e seu futuro incerto...

" estou apreensiva  com a bagagem pesada que o acompanha..." Pág. 102

Alias a autora vai mexer com o emocional, pois, em determinado momento, o livro irá mostrar um amor puro, verdadeiro... 
Teremos intrigas, chantagens e muitas cenas hot...
Embora  a história gire em torno da Barbara vamos conhecer outros personagens, que vão dar suspense para a trama, alguns vamos amar e outros odiar...
O interessante é que todos ganham capítulos durante a história e isso nos permite conhecer um pouco  mais de cada um, será que eles ganharão um livro também?



Falando um pouquinho do livro propriamente dito, a capa é linda, a diagramação do livro perfeita.

E você, Tá Lendo?


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Sorrisos Quebrados

Sorrisos Quebrados 

[RESENHA]

Título: Sorrisos Quebrados
Autor: Sofia Silva
Revisão: Patrícia da Silva
Edição: 1ª Edição
Páginas: 240
Ano: 2016

SINOPSE: "Paola: Perante Deus, meu marido prometeu me amar. Cuidar de mim. Ser meu amigo. Perante todos, disse que me amava. Que seríamos felizes. Viveríamos para sempre juntos. Mentiu em tudo. Até que um dia ele me disse que me mataria. E não mentiu. A partir desse dia, vivi escondida no meu mundo, até André aparecer. André: Eu não procurava nada. Não queria ninguém. Não depois de tudo que vivera. Meu coração estava escondido na escuridão, até Paola surgir com suas cores, pintando minha vida. “Sorrisos Quebrados” é um romance de cores entre duas pessoas quebradas por relacionamentos passados. Uma história de superação dos próprios medos e de promessas”.

Nota: ☆☆☆☆☆



Paola é uma jovem mulher casada com um homem lindíssimo que aos olhos da família e dos amigos a tratava como uma princesa, a impressão que dava era que Paola era a mulher mais sortuda do mundo. Só que a realidade era muito diferente... Ela sofria abusos absurdos tantos físicos quanto psicológicos em sua casa. Seu marido só não machucava seu rosto para ninguém pudesse ver e saber dessas abusos, e ela era sempre ameaçada caso viesse contar alguma coisa pra alguém da família ou fora dela. Ou seja, ela não tinha escolha a não ser fugir desse homem.
“Ela só queria amor! O que ganhou foi ódio. Almejava uma família. Recebeu ingratidão. Até que não desejou mais nada além de liberdade.”
Certa noite, na calada da noite, Paola saiu de fininho tentando fugir desse casamento insuportável, foi até o escritório e pegou chave do carro. Só que ao entrar foi atacada com um empurrão entre seu rosto e o volante do carro de forma tão violenta que ela mal teve tempo de gritar. Quando por fim cessaram as pancadas seu marido (se podemos denominar esse ser de algo) ele começa a agressão verbal sem nem se importar com seu rosto ensanguentado. Paola implora para que ele a deixe ir embora e ele inconformado, a trata como um lixo e a puxa pelos cabelos para o lugar que ela mais teme, que é perto dos cães. Cães esses que seu marido treinou para atacar furiosamente e a coloca na jaula dos cães e a prende com uma coleira.
“Quem machuca é a pessoa que amamos. Quem nos faz sofrer é a pessoa que devia nos fazer feliz e proteger. Que no amor as lágrimas deveriam ser sempre de felicidade.Que o amor pela pessoa certa pode ser a experiência mais bela da nossa existência e por isso não conseguimos defini-la.Não sabemos, porque quando amamos alguém com tanta intensidade e ela nos ama de volta é como perceber que voamos sem asas."
Aquele era o seu fim! Todos os olhares de pena ou de alívio das suas amigas por não terem sido elas as escolhidas eram demais para uma pessoa suportar. Então ela se isolou… e se dedicou à única coisa que nunca a abandonou: a pintura. E mesmo com aquela imensidão de tons misturados em que ela pintava e se pintava, ainda existia a melancolia. Algum tempo depois ela ainda está em uma casa de recuperação Onde, traumatizada, não consegue enfrentar a vida fora desse lugar, ela guarda em suas lembranças imagens desse momento / dia fatídico e brutal de sua vida. O que ela queria era apenas amar e ser amada. Mas como amar depois de um trauma com esse?
“— Um dia me fecharam num frasco com receio que eu pintasse o mundo.— E o que você fez?— Pintei o meu mundo no frasco.”


E num momento particular de lembranças e lágrimas no jardim dessa casa, Paola é flagrada por André, um homem grande e forte que também está preso a seus sofrimentos e traumas, que cuida de sua filha nessa mesma casa. (Sol, um amor de criança, introspectiva que também foi quebrada quando bebê).
"- A vida é um labirinto onde todos tentamos encontrar a saída e onde poucos têm a sorte de encontrar o parceiro ideal para a aventura. Alguém que não solta a nossa mão quando erramos na escolha do caminho e nós também não temos vontade de fazer isso porque percebemos que mais importante do que a saída, é conhecer o labirinto." 

Não consigo classificar esse livro como um romance, porque pra mim ele foi muito, além disso. Tocou com tanta sensibilidade tantos assuntos intensos como a dor de ser ferido por alguém que amamos, a perda, a culpa, a solidão, o medo... e tudo isso com tal delicadeza e profundidade que é impossível não partilhar de todos os sentimentos pertencentes aos personagens da obra. André e Paola foram quebrados pelas pessoas que deveriam tê-los amado, pelas pessoas que eles mais amaram... e isso deixa uma marca profunda demais, uma cicatriz que está fora do alcance de qualquer ajuda a não ser do verdadeiro amor. E a história de amor de Sorrisos Quebrados é tão grandiosa que não se limita a pertencer apenas ao casal, mas engloba mais uma personagem que confesso que ganhou meu coração desde sua primeira aparição: Sol. Uma garotinha linda de quatro anos que tem sobre os ombros um peso muito maior do que deveria suportar, mas que ao lado de duas outras pessoas tão quebradas quanto ela, talvez mutuamente eles possam se consertar.




“Às vezes precisamos olhar para as pessoas com os nossos corações e não com os olhos, pois só assim vemos quem realmente são”.



Ate mais, Blog Ta lendo ? ❤

sábado, 11 de novembro de 2017

Trago Seu Amor de Volta sem Pedir Nada em Troca

[LANÇAMENTO]




Hoje fomos ao lançamento do Livro Trago Seu Amor de Volta Sem Pedir Nada Em Troca que aconteceu na livraria Cultura no Conjunto Nacional na Avenida Paulista. A livraria estava cheia, como é lindo ver as pessoas em uma livraria ver o quanto esse universo mágico é maravilhoso, tanto que alguns livros já estavam esgotados !!!

Ique Carvalho escreveu seu terceiro livro juntamente com seu pai, que é o grande coração desta história, suas crônicas narradas em primeira pessoa mexem com o nosso coração e nos fazem refletir que os pequenos atos da nossa rotina é o que iremos levar eternamente em nossos corações.


[...Pouco antes do Dia dos Namorados,minha namorada terminou comigo. Eu fiquei sem entender. Entrei no quarto do meu pai e perguntei: “Pai, ela dizia que me amava. Então, por que ela terminou comigo? Não dá para compreender. Um dia, existe amor e, no outro, tudo acabou.”
Ele respondeu: “Você nunca vai superar seus traumas se continuar procurando no amor uma lógica. Construa uma nova história.” Eu fui para o meu quarto, abri o notebook e resolvi escrever este texto.
Porque vejo o mundo distorcendo ou complicando demais o amor. Um monte de gente dizendo: “Fique com alguém que faz isso, que faz aquilo, que te dê isso, que não sei o que mais”.
Esse monte de regras e exigências são coisas criadas pela cabeça. E, meu velho, não sei se você sabe, mas o amor é criado pelo coração. O resto é ilusão.
Então, acredite: o amor, o amor completo, é quando você quer o outro sempre perto. Só isso...]



No começo de cada crônica há uma sugestão de música, para você ouvir enquanto lê, acompanhada de QR Codes para facilitar a localização.


A bela edição também apresenta algumas ilustrações bem simples em verde-água no final dos capítulos, além de duas páginas inteiramente nessa cor com alguma frase escrita em branco que tenha sido marcante no texto. E a capa do livro é texturizada para parecer uma parede, muito linda!



Esse é  um livro bom para ler em uma bela tarde, ou  antes de dormir, ou na hora do almoço ou no intervalo entre as aulas, são textos que te deixam feliz, mais leve e acreditando no amor. Super Recomendamos!

[... o que é o amor? O amor não é uma pergunta. É a resposta para tudo ...]



Até mais, Blog Ta Lendo ?💖




sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Resenha – Entrevistando o Demônio

Título: Entrevistando o Demônio 
Páginas: 216
Editora: Qualis
Ano: 2017
Idioma: Português
ISBN: 978-85-68839-61-4

Nota: ★★★★★

Sinopse: A filosofia do pensador Eric Russel é destrinchada nesta obra, onde Tony Ferraz se vale de personagens de seu livro anterior para criar metáforas ardilosamente costuradas. Após ser capturado, um serial killer é enviado para uma prisão de segurança máxima em Thamesmead, Londres. Nicholas Flamme, um psiquiatra inexperiente, é convocado por motivos obscuros para conduzir por vinte e oito dias as entrevistas que serão utilizadas em seu julgamento. Emily é uma atriz que procura fazer carreira no teatro inglês. Estas tramas serão atadas em uma história surpreendente sobre o sentido da vida.

''Os demônios que os outros enxergam sempre nos parecem pequenos, isso porque, são outros que os enxergam''.

Nada melhor que começar uma resenha com uma bela frase do livro Entrevistando o Demônio.  Quando peguei finalmente o livro Entrevistando o demônio em mãos, sabia que devia me preparar para uma leitura densa e acima de tudo espetacular. Conhecia o autor Tony Ferraz, através de outro livro lançado por ele chamado O ARTÍFICE, e a leitura é igualmente fantástica.

Entrevistando o demônio como esperado por mim como uma simples leitora vai além de uma  ficção policial, vai além do que eu tenho como conceito de terror por falta de palavras melhores, ele vai muito além, sua linguagem, e por seu enredo. É uma literatura coberta de metáforas, apresenta personagens que não são preto no branco, são assombrosos e é esse tom que deslumbra o leitor. O autor além da habilidade de elaborar uma narrativa que prende a atenção o autor conseguiu com maestria valorizar o nosso idioma que é belíssimo e pouco valorizado, o que podemos esperar é assassinato, psicopatia, a origem do mal, o poder da mente humana e nos deleitamos com esses tópicos neste livro.

“Se a vida fosse um utensílio, ou um objeto, e se quisesse saber o seu sentido, questionariam primeiro a seu criador para que ela serve. E se esse criador não pudesse ser encontrado, ou estivesse ocupado para responder, abririam o utensílio com uma faca, ou uma ferramenta afiada, e o dissecariam até o intimo para examinar seus mecanismos e calcular sua serventia ...”

Em Londres no passado, treze anos antes do episódio no cemitério, Nicholas é chamado para trabalhar no caso de um famoso assassino em série. Haryel está preso em prisão de segurança máxima, Nicholas psiquiatra forense tem 28 dias para conseguir entrevistas que vão ser usadas no julgamento, o que será um desafio pois o serial killer está em estado catatônico desde sua prisão. Nicholas irá usar um método peculiar para seu trabalho a filosofia de Eric Russel, pensador que estuda e que se encontra meio que afastado do mundo naquele momento. Será que um psicopata pode ser curado?!



“ ... Ironia é um recurso fino de pensamento, mesmo tortuoso de decifrar. Existe o argumento de que os homens são escravos da moral. Mas que homens? Andando pelas ruas você percebe que a menor propriedade da moral são escravos, ela possui, na abundante maioria, falsos amigos ...”

A história de Nicholas ainda se mistura com a de sua esposa Emily, uma mulher que após deixar de atuar em sua área como publicitária, mergulha na vida do teatro e no seu sonho de trabalhar como atriz.

''... a vida é um rio; seu sentido é o sentido em que ela corre.''




O leitor entra nesse caso juntamente com Nicholas, somos levados a um toque quase que íntimo com o interior do demônio, a obra é muito bem amarrada, surpreendente ao fim e me pegou de um jeito, que eu não acreditava o que tinha acontecido. A obra te deixa muito perto dos personagens, é até assustador, parecia que o Nicholas era um conhecido meu!

Entrevistando o demônio é interessante, profundo, e intenso. Espetacular

''... Eu vendi a minha alma
Em um dia de outono''

Até mais, 
Blog Ta Lendo ?❤

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Resenha - A Acusada


Título : A Acusada
              

Autor(a) : Patrícia Maiolini

Páginas : 201

Editora : Sinna

Ano : 2016

Idioma : Português

ISBN : 978-85-93077-01-2

★★★★




Sinopse : Um bilhete, um diário, o que realmente há por trás dos alunos mais populares de um Colégio?

Aos 17 anos, Marina Moura consegue uma bolsa para realizar seu sonho do intercâmbio em Toronto, Canadá. O que ela não esperava é que fosse obrigada a se enfiar em uma investigação para desvendar um assassinato e, menos ainda, que fosse ser a acusada pelo crime. Todos são suspeitos. Como confiar em alguém? Será mesmo que ela é inocente? Marina conseguirá se livrar da acusação? Ou o assassino será mais esperto?


Era para ser o intercâmbio dos sonhos...


Escolhi este livro pela capa, assim que vi uma postagem no face, a capa chamou a minha atenção. Li a sinopse e fiquei mais curiosa, lembrei da minha adolescência quando me rendia aos livros da coleção Vaga lume, Veredas e outras.

A história tem um enredo muito bom, que me agradou. Com um pouco de mistério, suspense e as reviravoltas dos sentimentos e vida dos adolescentes. Conta a história de Marina que está realizando o sonho de estudar no Canadá, ganhou uma bolsa de estudo para um intercâmbio de seis meses, onde tudo está preparado para dar certo, até o inesperado acontecer e tudo pode dar errado.



Vida nova, país novo, muitas novidades, Marina está super empolgada com esta nova etapa. No colégio novo, rapidamente, se torna amiga de sua colega de quarto, garota popular que apresenta Marina para vários alunos.

Mas esta rotina que iniciou a mil maravilhas, com crushs, festas, aulas de inglês, se transforma rapidamente. Um bilhete misterioso e logo a descoberta de um assassinato no colégio, Marina se vê apontada como principal suspeita.

"Sei o seu segredo!
Se não quiser que toda a escola descubra,
acho melhor me encontrar.
Venha até a fonte. Estou esperando.
Você tem até às 23h00 para estar aqui.
Anônimo."

Indignada com os encaminhamentos da investigação a adolescente resolve encarar este mistério e desvendar o assassinato, encontrando o assassino e provando sua inocência.

"Não sou trouxa. Ninguém nessa instituição é.
estou observando você a todo momento e sei muito bem o que está pensando em fazer.
acho melhor desistir, senão seu destino será igual ...
... Esse será o último aviso.
Anônimo."

Em meio a trama de investigação, ela ainda precisa assimilar os estudos, as paqueras e a rotina de uma garota de 16 anos, trazendo algumas situações e diálogos que parecem ser surreais, mas que com certeza, e digo como MÃE de ADOLESCENTE, faz parte do universo deles.




Recomendo este livro para os leitores jovens, adolescentes, que gostam de suspense e estão iniciando neste mundo literário. Leitores mais vorazes podem achar a escrita muito detalhada, o mistério e personagens superficiais, engano nosso. A Acusada me fez realmente relembrar quando comecei a ler, leve e fofo, mas não deixa de lado o suspense, causando ao leitor aquele sensação de quem foi e o porquê ????? 

Nos prendendo até o final quando a trama é solucionada. Com uma diagramação linda e capa Diva, a leitura é rápida, a trama se desenvolve naturalmente com personagens que chamam a atenção.

A autora é jovem e já demonstra talento e muito potencial, nos apresentou uma história super bem conduzida. Patrícia está preparada para evoluir cada vez mais. Pretendo acompanhar sua carreira e ler seus futuros livros.






Queds Carvalho